domingo, 28 de dezembro de 2008

AS CHUVAS DE VERÃO - José Eduardo Degrazia


As chuvas de verão
Todas as tardes se forma o temporal
As nuvens escuras tomam conta do horizonte,
os meninos com suas babás se escondem.
A chuva grossa cai sobre os telhados
e escorrem dos fios: estas gotas são mensagens
que os arroios mandam aos rios

Os galhos das árvores revoluteiam
no ar suas pernas dançarinas:os pássaros
quase caem.

A enxurrada se encascata na sarjeta
da rua: para onde vão estes pedaços de pau,
estas folhas secas, estes pedaços de papel?

As chuvas de verão são de vir assim
subitamente. Os que não estão preparados
se molham até a medula dos ossos.
A chuva é como a vida quando nos pega desprevinidos.

Um comentário:

  1. Querida,
    um ótimo 2009 para nós, nossos queridos e nossos blogs!
    Beijo

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar o seu jeito.